Professora e professor: saibam como preservarem as suas vozes

Data: 11/01/2019

Autor: Alex da Matta, Sinpro-Sorocaba


Com o início de mais um ano letivo, é muito importante que as professoras e os professores cuidem e preservem as suas vozes. A voz é o instrumento de trabalho mais importante da profissão docente. Assim como o atleta cuida de seu corpo para ter um bom desempenho, a professora e o professor devem estar atentos a alguns cuidados que podem contribuir para suas atuações. É importante conhecerem bem seu instrumento de trabalho, para que possam cuidar da voz da melhor maneira possível. O médico otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo verificam se o profissional está utilizando a voz adequadamente, fornecem orientações preventivas, além de avaliarem e tratarem patologias já existentes. Vale lembrar que o tratamento precoce é sempre mais rápido, podendo inclusive poupar a professora e o professor de uma cirurgia. Por ser um valioso instrumento de trabalho, além de reflexo de nossa saúde física e mental, a voz merece cuidados especiais e atenção.

 

Cuidem de suas vozes

A voz em sala de aula tem um papel fundamental na comunicação e no relacionamento humano. Alguns cuidados e procedimentos podem ser feitos para que se tenha uma voz mais saudável! Professora e professor, vocês podem diminuir alguns abusos vocais e isso os ajudará nos seus tratamentos de voz. Consultem as dicas diariamente, procurem seguir as recomendações e sugestões.

Bebam água, regularmente, em pequenos goles, principalmente quando estiverem aplicando aula. A água hidrata o organismo e favorece uma emissão vocal sem tensão. Mantenham uma alimentação saudável e regular. Isso ajuda a prevenir o refluxo, que é prejudicial à laringe e às pregas vocais. Evitem achocolatados e derivados do leite, principalmente antes da utilização da voz, pois esses aumentam a produção de secreção no trato vocal e dificultam a emissão vocal.

Enquanto estiverem falando, mantenham a postura do corpo sempre ereta, no eixo, porém relaxada e livre de tensões (principalmente a cabeça).

Tenham momentos de descanso durante o dia, poupando as suas vozes. Evitem gritar ou falar frequentemente em forte intensidade: sempre que possível procurem aproximar-se do outro para conversarem.

Estejam atentos à ingestão de líquidos em temperaturas extremas, ou seja, muito gelado ou muito quente, principalmente durante o uso da voz. Algumas pessoas têm maior sensibilidade e podem ter desconforto vocal. Observem se esse é o seu caso e procurem evitar o que dificulta a produção das suas vozes. Evitem pigarrear ou tossir demais, pois isso provoca um forte atrito entre as pregas vocais, irritando-as. Procurem substituí-los por uma respiração seguida de deglutição de saliva para deslocar a secreção. Se o problema persistir, procurem um médico.

Evitem falar enquanto praticam exercícios físicos: o esforço muscular associado à fala provocará sobrecarga na musculatura de suas laringes.

Fiquem atentos a possíveis ressecamentos do trato vocal quando estiverem expostos ao ar-condicionado. Se esse for o seu caso, procurem manter-se bem hidratados e beberem água em pequenos goles durante o período de exposição.

Evitem chupar balas ou pastilhas fortes, assim como utilizarem sprays, que mascaram o sintoma de garganta irritada e fazem com que vocês produzam a voz com esforço, sem perceberem. Quando o efeito da bala passar, a irritação na garganta será ainda maior. Em substituição a essas alternativas, procurem fazer repouso vocal.

Evitem falar muito quando estiverem gripados ou em crise alérgica, pois, nesses casos, o tecido que reveste a laringe está inchado e haverá grande atrito entre pregas vocais durante a fala.

Evitem usar roupas apertadas na região do pescoço e na cintura. Elas dificultam a livre movimentação da laringe e do diafragma, musculatura importante para a respiração.

Evitem fumar e ingerirem bebidas alcoólicas em excesso. Tais hábitos irritam a laringe. Além disso, o cigarro aumenta consideravelmente o risco para o desenvolvimento do câncer de laringe e pulmão. O fumo é altamente nocivo, pois a fumaça quente agride o sistema respiratório e principalmente as pregas vocais, podendo causar irritação, pigarro e edema. Álcool em excesso também é prejudicial para as pregas vocais e tem efeito analgésico, fazendo com que vocês cometam abusos vocais sem se darem conta.

Evitem falar grosso ou fino demais, travarem os dentes ao falarem e falarem muito rápido. Tenham uma voz com entonação variada, articulem bem as palavras, percebam-se enquanto falam, acalmem-se, façam pausas expressivas e respiratórias. Evitem automedicarem-se. Muitos remédios podem indiretamente piorar as suas vozes.

Fiquem atentos a medicações que causam sensação de boca seca. Busquem por orientação médica. Quando vocês estiverem com uma rouquidão por mais de 15 dias, consultem um médico otorrinolaringologista e/ou um fonoaudiólogo.

Conheçam os nossos parceiros na fonoaudiologia ou otorrinolaringologista através do link: https://goo.gl/k1rFxk.

Cliquem na categoria: saúde; subcategoria: fonoaudiologia ou otorrinolaringologista; e, na sequência, cliquem em buscar.