Busca:


Notícias da Educação

Educação básica: Dois anos no acordo com reajuste fatiado?


Data: 30/03/2021

Fonte: Alex da Matta, Sinpro-Sorocaba, com informações da FEPESP


Em nova rodada de negociações nesta campanha salarial 2021 da educação básica, o sindicato patronal manteve a proposta de ignorar a sentença normativa que conquistamos no dissídio coletivo. Ou seja, recusou novas reivindicações das professoras e dos professores, que definimos em nossa assembleia, mas concordando oficialmente em estabelecer a convenção coletiva por dois anos.

Nessa concordância veio embutida uma novidade: pagar o reajuste salarial, calculado pela média dos índices INPC e FIPE, em três parcelas em 2021 e em duas parcelas em 2022. E também pagar a PLR ou abono em duas parcelas, nos dois anos de vigência.

A comissão de negociação dos Sindicato, coordenada pela Fepesp, insistiu na manutenção da sentença normativa do Tribunal Regional do Trabalho, que nos deu razão e envolveu o pagamento de hora tecnológica, adicional por elaboração de prova substitutiva, pagamento incondicional de janelas e outros itens – e, ainda, insistimos nas nossas reivindicações econômicas.

*Defesa de direitos, defesa da vida* - Após essa rodada de negociação, e reunidos na tarde desta terça-feira (30), os 25 Sindicatos integrantes da Fepesp deliberaram por apresentar contraproposta econômica na próxima reunião de negociação com o sindicato patronal, mantendo a defesa das cláusulas conquistadas. Foi também discutida nessa reunião a continuidade do processo de negociação e o fortalecimento da mobilização das educadoras e educadores em todo o Estado.