Busca:


Notícias Gerais

É hoje: mulheres negras marcham em defesa da democracia e do bem viver


Data: 25/07/2018

Fonte: Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB


Para denunciar a situação precária de suas vidas, as mulheres negras marcham pelas ruas de Salvador e São Paulo nesta quarta-feira (25) – Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha – e no domingo (29) no Rio de Janeiro.

Muitos eventos e manifestações vêm ocorrendo desde o dia 1º de julho para refletir sobre a necessidade de acabar a discriminação e a violência contra as mulheres. “Na conjuntura de retrocessos que vivemos é fundamental a mobilização das mulheres em defesa de seus direitos e de suas vidas”, afirma Celina Arêas, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

“Principalmente as mulheres negras que estão na base da pirâmide social”, complementa Mônica Custódio, secretária da Igualdade Racial da CTB. “O racismo institucionalizado e o sexismo impedem que as negras tenham uma vida plena e sem medo”.

A marcha das baianas marca o ponto alto da 6ª Edição do Julho das Pretas, que lembra ainda o Dia Nacional de Tereza de Benguela, também comemorado em 25 de julho. Tereza viveu na no século 18 no Vale do Guaporé, no Mato Grosso e liderou o Quilombo de Quariterê após a morte de seu companheiro, José Piolho. Segundo documentos da época, o lugar abrigava aproximadamente 79 negros e 30 índios. Ela foi morta após ser capturada em 1770.

“Denunciamos a dupla discriminação que as negras sofrem e defendemos direitos iguais para todas e todos, pondo fim ao racismo e a todo tipo de discriminação”, diz Marilene Betros, secretária da Mulher da CTB-BA e de Políticas Educacionais da CTB.

A concentração para a Marcha das Mulheres Negras de Salvador começa às 13h, na Praça da Piedade e seguirá ao Terreiro de Jesus, onde será realizado o Ato Político Cultural Mulheres Negras Movem a Bahia, a partir das 17h.

São Paulo

As paulistanas levam a sua força às ruas de São Paulo com o tema “Por todas nós e pelo bem viver! Exigimos o fim da negligência e violência do Estado”. Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher da CTB-SP, lembra que as estatísticas mostram que as mulheres negras ganham até 63% a menos que os homens brancos como atesta a ONG Women 20 Outreach Brazil.

“A nossa luta é para criarmos condições de vida melhores para todas as pessoas”, afirma Gicélia. “A nossa marcha deste ano serve também para mobilizar a sociedade para o Dia do Basta (10 de agosto) para barrar os retrocessos promovidos pelo governo golpista”.

A concentração acontece na Praça Roosevelt, centro da capital paulista, às 17h, com a participação do Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais e com forte presença da CTB.

“Precisamos vencer o golpe, elegendo mais mulheres, negros, representantes da classe trabalhadora e candidatos comprometidos com a juventude para construirmos o país dos nossos sonhos”, conclui Gicélia.