Busca:


Notícias Gerais

Alegria, luta e homenagem aos mestres no Carnaval


Data: 01/03/2019

Fonte: Carlos Pompe, Contee


Além da festa e da alegria, as questões políticas e sociais sempre estiveram, e estão, presentes no Carnaval. Neste ano, em São Paulo e Rio professoras e professores são homenageados pelos foliões, em resposta à criminalização da categoria feita pelo Governo Bolsonaro e seus apoiadores.

Em Goiânia, o CarnaSinpro será no dia 3, no Clube do Sinpro Goiás, e tem como tema a família, com animadores, atividades voltadas às crianças, competição de fantasias infantis com premiações diversas e baile. As dependências do clube como piscinas para adultos e crianças, saunas, área gramada para a prática de esportes, salão com mesas de pingue-pongue, sinuca e totó, churrasqueira, parquinho e cozinha coletiva estarão liberadas para a festa.

Em Belo Horizonte, o Intervalo, bloco das professoras e professores, realizou ensaios em todos os sábados de fevereiro. “Resistência, unidade e alegria” é o lema para sair às ruas da capital mineira com irreverência, fortalecendo também a importância da luta em um momento de tantos retrocessos para o povo brasileiro.

Em Sorocaba, São Paulo, o Sinpro colocou à disposição da categoria uma ampla rede de conveniados, com descontos especiais durante o tríduo momesco. São oferecidas opções que vão de agências de turismo a pousadas, hotéis fazenda, clubes, chalés etc. Também existem descontos especiais em restaurantes, lanchonetes, pizzarias, confeitarias, loja de produtos naturais etc. Para quem quer colocar as coisas em ordem, os convênios na área de Produtos e Serviços têm opções como lava-rápido, seguradoras, imobiliárias, farmácias, óticas, informática, vidraçarias, gesseiros, petshop, limpeza de estofados, móveis, vestuários etc. A área de Beleza e Estética engloba parcerias como clínica de emagrecimento, estética corporal e facial, depilação, micropigmentação de sobrancelhas, cabeleireiros etc. Também existem muitas parcerias na área de Saúde, com especialidades médicas, nutricionistas, psicólogos, dentistas, laboratórios, terapias alternativas, cirurgia plástica, fonoaudiólogos, academias de ginástica e de luta etc.

Professores na passarela

No Carnaval carioca, a Grande Rio terá velha-guarda como professores. A escola apresenta o enredo “Quem nunca… Que atire a primeira pedra!”, de André Diniz, Cláudio Russo e Moacyr Luz, Gê Martins, Licinho Júnior e Elias Bililico, em que aborda a crise na educação brasileira. A velha guarda entrará caracteriza de professoras e professores. Segundo o carnavalesco Renato Lage, a escola optou por abordar a falta de parâmetros educacionais na atual sociedade brasileira: “Nós decidimos não fazer uma coisa careta então decidimos fazer a falta dela. E nesse sentido fizemos um mea-culpa também. É uma necessidade de se ter educação. Não estamos elogiando o que é errado. As alas e carros são causa e consequência”, explica Renato.

Em trecho, diz o enredo:

Olha o que fizemos nós
então pegue seu filho nas mãos
Educar é um desafio
Se errei peço perdão
Renasce a Grande Rio

Para Lage, “Carnaval tem que ter leitura. O belo pelo belo que não diz nada e não faz as pessoas entenderem é uma inutilidade”. Ele explica como será o desfile:Setor 1: “Partimos do jogo da vida, um tabuleiro de xadrez. Ele gira. Nesse momento vamos lembrar a virada de mesa. De um lado o jogo em si e do outro os emojis. Usamos dessa linguagem moderna e atual. Uma hora você está em cima, outra hora está embaixo. Nem sempre de forma limpa ou dentro das regras do jogo.”
Setor 2: “A educação (ou falta de) no trânsito. Existe a causa e consequência.”
Setor 3: “A deseducação com o meio ambiente. A alegoria foi inspirada em trecho do samba: ‘cardumes de garrafas pelo mar’. Diariamente vimos acidentes ambientais, enchentes. Não adianta delegar só aos órgãos públicos.”
Setor 4: “A deseducação na internet. Deu ruim na rede. Ao mesmo tempo que a rede social agrega, ela separa, pois às vezes você se isola. Uma opinião mau dada pode causar ataques. É uma seara de muita agressão, algumas vezes de forma violenta. Isso gera uma falta de verdade nas pessoas.”
Setor 5: “Entramos na educação formal. A velha guarda representa os professores. Temos a alegoria da ciência e tecnologia no quinto carro, com uma escultura do Albert Einsten que vai vir girando na avenida.”
Setor 6: “Um corso tradicional com a escola pedindo paz, sem agressividade, violência. O propósito do carnaval é amenizar as mazelas. Fechamos com uma alegoria toda branca que é um pedido de paz, como diz a letra do nosso samba, ‘falam de mim, eu falo de paz’”.

Com o enredo “Professores: Camisa 12 Orgulhosamente Desfila essa Homenagem a Vocês, Mestres na Arte de Ensinar”, a agremiação da capital de São Paulo se considerou presenteada: “Fizemos uma captação pública pelas redes sociais, porque precisávamos de 40 professores para compor o carro alegórico”, conta Jhonny, diretor de comunicação da escola.

O carnavalesco da escola, Glelson Pinheiro Silva, procurou harmonizar as alas abordando a beleza da profissão e o momento vivido pelos docentes, que sofrem dentro e fora da sala de aula . “É uma forma de denúncia contra a Lei da Mordaça”, disse Glelson. O samba-enredo é de autoria de Wilson Bizzar, Jacson do Cavaco, Evandro Malandro, Anderson de Deus, Casinha e Ricardo Martins e diz no refrão:

Eu quero ter dignidade outra vez
quero respeito e muito mais amor
Sou Camisa 12 e vim aqui pra lhe dizer
que eu acredito na força do professor

Veja aqui matéria do Sinpro-ABC sobre o carnaval da Camisa 12

Em tempo: no ano passado, a escola de samba Reino Unido da Liberdade foi a campeã do Carnaval de Manaus, Amazonas, com o tema “Ao Mestre com Carinho, na Escola da Vida eu Sou Professor”. Segundo Mizael Costa, que fez as alegorias da escola, “o Reino Unido fez uma homenagem merecida aos mestres professores, a essa que é mãe de todas as profissões“.

Os compositores Marquinhos Negritude, Herlon Muleque do Banjo, Bosquinho Poeta, Clênio Fanciné, Wanderley Freitas, Ney Butika, Paulino Braga, Willian Pimentel, Helder Silveira, Jorge Varela, Elvys de Paula, Rodrigo Froes e Roney Cruz cantaram:

Quem dera ver o respeito e a justiça em devoção
Praquele que tem a missão de um mundo novo despertar
Oh! Meu Brasil vamos valorizar!